terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Eco-repórteres - "Os novos defensores do ambiente" por Sara do 6.º ano



Imagem Ser Feliz

Deixo aqui outra história sobre o ambiente, e, aproveito para dizer para não poluírem o nosso bom planeta, pois, quem ficar em último, é quem vai sofrer mais, e, nós não queremos isso! Temos de tomar medidas drásticas!
Sara, 6.º ano
Capítulo 1:
Entretanto, os nossos cinco amigos já estavam no 2ºPeríodo do 1ºAno e eles arranjaram mais amigos, eles eram a Miriam e a Sandra, eram da sala Laranja (a sala do segundo ano) e foi na festa de Natal do Colégio que se conheceram:
Olá, bom dia!- Dizia a Miriam à Sandra, às Gémeas, à Mariana, à Sara e ao Rodrigo.
- Bom dia!- Responderam os outros em coro.
- No intervalo do almoço, encontramo-nos no nosso sítio, está bem?- Perguntou a Sandra.
- Está bem!- Informaram os outros.
As aulas da parte da Manhã passaram a correr e no Intervalo da Hora de Almoço:
- Podíamos criar um clube “Revolucionário” sobre o ambiente, o que acham?- Perguntou a Miriam.
- Pode ser, falamos disso no nosso sítio secreto.- Disse a Sara.
Os nossos sete amigos encontraram-se no esconderijo:
- Não podemos ficar para sempre neste sítio, temos de criar uma sede para o nosso clube!- Sugeriu a Sofia.
- Eu tenho uma casa na árvore no meu quintal e isso poderia ser a nossa sede!- Sugeriu a Mariana.
- Ok, combinado, vamos fazer na tua casa da árvore, a nossa sede de clube!- Exclamou a Sandra.
Capítulo 2:
Passados uns dias, mais propriamente, no fim-de-semana, os nossos sete amigos encontraram-se todos na casa da Mariana às 9h00min:
- Bom dia alegria, trouxeram cortinados, cadeiras, mesas, canetas e etc.?- Perguntou o Maurício (o pai da Mariana).
- Sim!- Responderam todos em coro.
- Então, vamos pôr Mãos à Obra!- Completou o Maurício.
Bom, eles trabalharam arduamente até à hora do almoço:
- Agora sim, a nossa sede está concluída!- Relatou a Miriam.
Os nossos sete amigos, depois do almoço, foram para a nova sede, que tinha a nomenclatura de “Brigada do Ambiente”:
- Vamos pôr as notícias ao relato no nosso tablet.- Disse a Sara.
Capítulo 3:
Os nossos sete amigos não ficaram nada contentes com a má notícia, o país estava a ficar cada vez mais poluído e alguém tinha de resolver isso, essas pessoas eram os nossos sete amigos:
- Temos de fazer alguma coisa!- Exclamou a Sandra.
- Podemos espalhar panfletos, criar anúncios online e etc.- Sugeriu a Mariana.
- Muito boa ideia, miga, vamos começar com o nosso “projeto”!- Concluiu a Sara.
Capítulo 4:
Foi um dia e meio de trabalho, mas valeu a pena, pois as pessoas pareciam que alguém lhes tinha lançado um feitiço para não se poluir o planeta, mas bem, o que interessa é que, de princípio, dentro de um mês, a escala de poluição iria diminuir e que o aquecimento global se iria atrasar, mas, subitamente, enquanto os nossos sete amigos eram entrevistados, a Mariana foi raptada, mas, o resto do grupo só reparou, quando estavam a combinar ir comer um gelado:
- Eh, alguém viu a Mariana?- Perguntou o Rodrigo.
- Não, ainda há um bocado ela estava aqui e ela não se ia embora sem nos avisar.- Concluiu a Sara.
- Temos de a procurar, ela pode muito bem ter sido raptada por um poluidor mortífero!- Escandalizou-se Miriam.
- Vamos para a nossa sede e informamos os nossos pais que passamos lá a noite!- Concluiu o Rodrigo.
Afinal, o resto do grupo tinha razão, pois a Mariana não estava em casa e também não estava na sede:
Boa tarde, senhor Maurício, a Mariana está?- Perguntou o Rodrigo.
- Não, pensei que ela estava convosco!- Admirou-se o Maurício.
- Hoje, de manhã, estávamos a ser entrevistados pela TVI, quando demos conta que a Mariana já lá não estava!- Explicou a Sandra.- E achamos que ela foi raptada por um poluidor mortífero, até, porque ela não sairia de ao pé de nós, sem nos avisar!
- Infelizmente acho que tens razão, porque recebi um bilhete na caixa do correio a dizer que tinham a minha filha e a assinatura era: Poluidor Mortífero.- Relatou o senhor Maurício.
- Tive a ideia de irmos à polícia e dissermos, que às quatro horas eles estivem na Avenida 25 de Abril, porque acho que já sei quem é o Poluidor Mortífero, que é, nem mais, nem menos que o senhor Leproso, o que nos fez sinal de vingança, quando estávamos a ser entrevistados!- Relatou a Sandra.
- Se calhar tens razão e vou já telefonar à polícia!- Informou o senhor Maurício.
Capítulo 5:
O resto do grupo tinha razão e, quando apareceram à porta do senhor Leproso, este ficou admiradíssimo e desbocou-se logo, é claro que a polícia o prendeu e este teve direito a uma pena de Prisão Perpétua.

Sem comentários:

Enviar um comentário