Eco-repórteres apresentam ... Ai, que fumo! Cof cof! Uma aventura sobre a poluição do ar (5.º capítulo)

                 
Os eco-repórteres Hugo  e João  do 5.º ano

                Quando regressaram das Filipinas, era dia de aulas. Estavam cansados devido à diferença horária, mas lá foram para a escola. A meio da manhã, na aula de ciências naturais, o Tomás, que tinha um ouvido… MUITO apurado e um olfato impecável, ouviu a sirene de incêndio e sentiu MUITO, MUITO fumo no ar! Achou muito estranho, mas pensou: “É impressão minha ou acabei de ouvir a sirene? Não, devo estar a ouvir coisas!”. Não pensou mais nisso, mas, aconteceu que, no dia seguinte, voltou a ouvir a sirene e então perguntou aos seus amigos:
                -Vocês estão a ouvir o mesmo que eu?
                - Sim, é a sirene da escola, porque aqui perto, há uma fábrica de automóveis e a poluição é tanta que faz disparar o alarme de qualidade do ar.- explicou logo o Francisco.
                Dois dias depois, na aula de H.G.P., o Tomás, ouviu NOVAMENTE uma sirene e disse:
                - BASTA! Bata e BASTA! Chega de poluição! Aargh!
                -Que foi, Tomás?- perguntou a professora - É que tu, ultimamente, andas muito distraído!
                - É que… naquela fábrica que há aqui perto estão sempre a construir automóveis e a poluir o ar ... E EU ODEIO ISSO! Aargh!- Explicou o Tomás.
                - Vou informar a Diretora da Escola para avisar a fábrica, ok?- disse a professora, que também era a sua diretora de turma.
                 Mas não adiantou NADÍSSIMA DE NADA! A poluição continuou e todos os dias ouviam a sirene. Então, fizeram um plano. Reuniram-se na casa do Santiago e da Matilde e refletiram sobre o assunto:
                  - O que fazemos? Malta, temos de encontrar UM PLANO!
                  -  Malta, lembram-se da quando visitámos uma ETAR e a uma ETA? – Perguntou a Mariana. - Devemos 
                 - Sim!- Disseram todos.
                 - Podíamos fazer cartazes, fazer manifestações… TUDO!- Continuou.
                 - Não exageres! Manifestações, não! Somos muito novos para isso! Mas… Cartazes, notícias… PODE SER!- Disse o Francisco.
                 -Mãos à obra!- Disseram todos.

                              Mãos à Obra!

                  - Embora lá fazer os cartazes!- Disse o Santiago, que estava ansiosíssimo!
                  -Vamos lá dividir tarefas!- planeou o Francisco- Eu e a Matilde ficamos no computador a pesquisar sobre a “Maldita” Poluição do Ar, a Filipa, o Pedro e o Santiago vão ver se descobrem a origem da poluição com a ajuda da mãe do Santiago…
                   -Sabem quem aqui faltava? A Sara! Vamos ligar-lhe!- Disse a Mariana.
                   -Tutitutututi- fez o telefone.
                   - Estou? Sara? É a Mariana. Não queres vir cá à casa do Santiago? Ok! Até já!- Disse a Mariana.
                   Quando a Sara chegou…
                   - Olhem, Sara e companhia, vamos rever as tarefas: eu, a Sara e a Matilde, ficamos no computador a pesquisar sobre a “Maldita” Poluição do Ar, o Tomás, a Filipa, o Pedro e o Rafael, vão com a ajuda da mãe do Santiago, que é investigadora, ver onde começa. O Salvador, o Santiago e a Mariana, vão pesquisar sobre a “Maldita”, mas ... lá fora! Mãos à obra?- Perguntou o Francisco.
                  -Sim! - Gritaram todos.
                  Vamos ver primeiro como se está a “safar” o Francisco, a Sara e a Matilde:
                   -Eu não sei muito sobre a Poluição do ar!- Disse a Matilde
                   -Isso é porque ainda não demos essa matéria!- Disse a Sara
                   - E é tão importante!- Disse o Francisco
                   Já vemos como está a correr. Agora, vamos ver como se estão a sair o Tomás, a Filipa, o Pedro e o Rafael.
                  -Onde querem ir?- Perguntou a mãe do Salvador.
                  - Não sei… talvez a uma fábrica?- Perguntou a Filipa.
                    Mas… aconteceu uma coisa gravíssima! Começou a chover… CHUVAS ÁCIDAS!
                  -Têm os Walkies Talkies?- Perguntou a mãe do Santiago.
                  -Sim! Embora lá dizer-lhes o que está a acontecer!- Disse o Pedro que estava muito, STRESSADO! Porque não era bom sinal… Como é óbvio.- Agentes Óculos Génius, Invisty, TecnoWoman, ArTist, CarTazist e ModelWoman, NatureMan, Aquagirl, SportsMan… Estão aí?
                  - Sim!- Gritaram eles
                  - O que está a acontecer?- Perguntou o Francisco
                  - CHUVAS ÁCIDAS!-Disse o Pedro
                  - Ai, não!- Disse o Francisco que caiu sobre os braços da Matilde.
                  - São consequências da “maldita”!-Disse a Mariana. Mas… voltaram para casa do Santiago.
                  - Vou dizer-vos algumas das coisas que provocaram a poluição do ar:
tráfego aéreo, lixos, fábricas, incêndios, fertilizantes, gado…-Disse a Mariana - Vulcões, chaminés das fábricas…
                  - Será que estou a sonhar? A minha mana a falar de coisas que não demos? Estou a delirar! – Disse a Matilde.
                  -Ahaha!- Riram se todos.
                  - Eu tenho andado a estudar! Mas… Querem saber as consequências? – Disse a Mariana.
                  -Sim! Diz!-Disseram todos.
                  -Ok!
                  Fusão dos Gelos, subida do nível da água, Chuvas ácidas, Aquecimento da atmosfera, Destruição da Camada de Ozono… E ah! Querem saber mais?- Continuou a Mariana´
                 -Sim!- Disse a Filipa- Nem acredita no que estou a ouvir!
                 - Ok! 
                 Alterações do clima, chuvas ácidas que podem degradar edifícios e afetar seres vivos…- lembrou a Mariana.
                -Temos de fazer algo!- Disse o Santiago.
                -Mas… O QUE FAZEMOS?-Perguntou a Matilde.
                -O que sempre combinámos!-Disse o Francisco e a Mariana.
                -Ok… Cartazes! O que precisamos?- Perguntou o Rafael.
                -Precisamos de cola, pessoas ao computador, cartolinas, lápis, caneta, borracha,… TUDO!-Disse o Santiago.
                PASSADO ALGUM TEMPO…
                -Lembram se daqueles grupos?- Perguntou o Francisco- Podíamos separar-nos para alertar as pessoas! 
                -Ok!-Responderam todos.
                -Vamos lá!- Disseram todos.
                Foram primeiro à padaria.
                - Olá, sr. António!- Disse o Tomás.
                -Olá, meninos! O que vens fazer à “Padaria Majestosa!”?- Perguntou o Sr. António.
                -Viemos aqui, distribuir cartazes sobre o ambiente. Pode ser? – Perguntou a Filipa.
               -Pode ser! Não querem um milfolhas?- Perguntou o Sr. António.
               - Não, obrigado! Estou cheio!- Disse o Francisco.
               -Pois…- Disse o Sr. António.
               Depois…
               -Voltámos ao mesmo! QUE FÚRIA!-Disse o Tomás.
               -Calm down! Acalma-te! Conta até 100! – Disse a Matilde.
               - Qual Calm down qual quê! Estamos a fazer yoga ou… ESTAMOS A SALVAR O AMBIENTE!- quase gritou o Francisco. 
              -Pois… VAMOS LÁ!- Disse a Filipa.
              -Oh, meu Deus do Céu! São as fábricas! Vamos lá parar com isto!- Disse o Salvador.
              -É melhor nós… não fazermos isto!- Disse logo o Francisco.
              - Porquê?- Perguntou a Matilde.
              -Porque… sem as fábricas… não temos nada! Temos de desistir!! - Disse o Francisco, com um ar muito… triste- Snif, Snif!
              - Não! Não vamos desistir! Precisamos de outro plano! A existência dos seres vivos pode estar em risco!- Disse o Rafael com um ar muito… heróico!
              - Mas… Já fizemos algo… Agora são os seres vivos que fazem a outra parte!-      Disse a Mariana. e agora? Não há solução para a pouição do ar?
 Até à próxima!
Os autores,
Hugo Batoca
João Alves
E Rodrigo Filipe


Comentários